segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Senador Aníbal Diniz acompanha as comemorações dos 60 anos de Sacerdócio do Padre Paulino.

O senador Aníbal Diniz e o governador Tião Viana fizeram questão de acompanhar as festividades de Nossa Senhora da Conceição Padroeira de Sena Madureira e também das homenagens e celebração dos 60 anos de sacerdócio do Padre Paulino. Vale destacar que as comemorações no município foram iniciadas no dia 28 de novembro sendo encerrada neste domingo(8) na ocasião o eventou contou também com a  presença do  Prefeito Mano Rufino, Deputada Perpétua Almeida e deputado Moisés Diniz, o secretário Edvaldo Maganhães além de autoridades religiosas de vários estados brasileiro, esteve presente amigos da Itália e da Inglaterra, representando a família do padre Paolino, o irmão Conrado Baldassari e o sobrinho Padre Angelo. 

Conhecido como o defensor dos menos favorecidos Padre Paulino engrandece a cidade e ao falar em Sena Madureira logo vem a mente a trajetória do vigário da floresta, seu nome  Paulino Baldassari, conhecido simplesmente por ‘Padre Paulino’.Há mais de 50 anos ele percorre nossos rios, varadouros e igarapés mais distantes, aqui na região do Acre levando ajuda humanitária a comunidades carentes e isoladas do município.



Mais que isso, ele leva solidariedade e esperança aos que nada possuem, além da própria fé.
Italiano de nascimento, mas acriano de coração. Sua trajetória se confunde com a própria historia da cidade. A prova disso é que dedicou uma vida inteira à causa dos mais humildes em especial a este município, que o acolhe como um de seus moradores mais ilustres. Além de cuidar da alma, Padre Paulino também dedica seus dias a cuidar de pessoas que não dispõem de condições para prover seu próprio sustento, e percorre há muitos anos esses rios, nos lugares mais distantes e excluídos, onde muitas vezes, nem Estado, nem prefeitura, nem políticos chegam. A historia deste padre no Acre começa em 1954 e de lá para cá, tem se dedicado exclusivamente aos pobres de corpo e de alma.


O papel de Padre Paulino na Educação, tem significativos resultados. Além de todos esses anos de sacerdócio dedicados ao povo de Sena Madureira, em especial ao povo dos rios Iáco, Macauã, Caeté e Purus, um de seus mais expressivos trabalhos foi à implantação da educação na zona rural. Foi de iniciativa dele a primeira escola na zona rural do município de Sena Madureira. Algumas escolas ele próprio ajudou a construir com a colaboração da comunidade.Ele tem relevante contribuição no processo de formação da sociedade Senamadureirense.
Do alto de seus 87 anos de idade, pelo menos 51 deles, Padre Paulino tem dedicado a esta região.
Seu trabalho no combate à devastação da floresta amazônica fez com que fosse alvo de ameaças de morte durante as décadas de 80 e 90, mas sua luta hoje, tem reconhecimento nacional e internacional, tanto que já foi merecedor de vários prêmios significativos, devido à relevância de seu papel no cenário nacional e na mídia mundial.

Aníbal Diniz que foi seminarista do Padre Paulino em Sena Madureira sempre tem boas histórias que são relembradas a cada encontro com o vigário, onde o parlamentar esta sempre mantendo contato com o Padre que segundo ele lhe permitiu muitos ensinamentos. " Estou muito feliz em poder participar de um evento tão importante como este onde temos a oportunidade homenagear o Padre Paulino que tanto contribui com o nosso Estado em especial com Sena Madureira cidade que escolheu para dedicar suas ações religiosas percorrendo rios da região e levando aos lugares mais distante uma palavra de fé e esperança"salientou.

Durante a celebração da santa missa foi inaugurada as novas instalações do casa convento servos de Maria  que foi ampliada e reformada.
Médico da floresta, desbravador, incansável, Revolucionário, assim é o Padre Paulino acompanhou de perto cada homenagem aos seus 60 anos de sacerdócio que contou com apresentação de vídeos, paródias,  músicas e um documentário que mostrou a trajetória do Padre Paulino que tanto engrandece a todos que acompanham a sua vida religiosa.
         
Assessoria.

Aberta oficialmente a 3ª Feira do Peixe em Sena Madureira

O prefeito Mano Rufino realizou oficialmente na manhã desta quinta-feira (5) a abertura da 3ª edição da Feira do Peixe em Sena Madureira. O evento começou hoje e irá se estender até sábado, sendo realizado ao lado da Feira Livre dos Colonos, onde foram montadas algumas tendas para acomodar os vendedores e também os consumidores do município.

Em sua fala, Mano Rufino destacou que a principal meta é fomentar a economia da cidade, gerando oportunidade para os piscicultores e, por outro lado, podendo oferecer um produto de qualidade aos consumidores. “O momento é de muita alegria para todos nós. Queremos agradecer a todos os nossos parceiros e declarar oficialmente aberta a 3ª feira do peixe de Sena Madureira. Temos certeza de que alcançaremos um resultado satisfatório assim como nas edições anteriores”, enfatizou. 

  
De acordo com o secretário municipal de Produção, Jairo Cassiano, existe atualmente em Sena Madureira em torno de 40 piscicultores em locais distintos do município. Com isso, haverá produto o suficiente para atender a demanda da população. “Nossas expectativas são as melhores. Estamos cuidando dos com carinho da realização da terceira feira para que tudo ocorra dentro do planejado e a população seja atendida de forma satisfatória“, comentou.



Além do pescado a comunidade conta ainda com a exposição de artesanato, doces e outros produtos artesanais da região que visam incentivar a produção e fomentar a economia do município.

A realização é da Prefeitura de Sena Madureira e Cooperativa Sena/Peixe, com o apoio do SEBRAE e do Governo do Estado.

Assessoria/Fotos Jr. Cabral.

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Evilen Liandra uma guerreira pela Vida.

Agora mesmo, escrevendo esse texto, as lágrimas me vêm aos olhos. Impossível, como mãe, não me comover com a dor dessa mulher. Não me parece justo. Não me parece natural. Por mais que pensemos que a morte faz parte de nosso caminho, de nossa história, a verdade é que poucas – ou até nenhuma – mãe está preparada para ver seu filho partir antes dela.
Eu, que acredito na doutrina espírita e me apego a valores que até me consolam sobre a morte, ainda sim me comovo pelas outras mães. Sei que o sofrimento é de toda a família. Até eu, que não conheci o moço, sinto pela morte dele quando penso. Mas, para a mãe, ahhh, minha gente. Essa deve ser uma dor sem tamanho. Não sei se essa é a ordem natural da vida. Se bem que, pensando melhor, a vida tem uma ordem?
E assim começa o meu dia, pensando no quão perene e sensível é a nossa passagem nesse mundo. Como diz minha amiga, a vida é um sopro. Em um instante, um coração saudável para de bater. É por isso que, depois de seu irmão ter partido, eu tenho ficado muito reflexiva no que eu quero pra mim e para os meus filhos. Porque cada momento é vida. Cada instante junto é algo a ser compartilhado.
Depois disso, reafirmei em mim a beleza dos pequenos momentos. Um passeio, mãos dadas, um carinho gratuito, um olho no olho. Não raras as vezes que deixo o computador de lado e me jogo no chão onde meus meninos estão brincando. Porque, cada dia que se passa é um dia a menos da gente juntos. Então, que saibamos aproveitar enquanto podemos olhá-los nos olhos, enquanto eles ainda cabem no nosso colo, enquanto aquelas barriguinhas sobem e descem com sua respiração. Que possamos nos permitir mais viver cada minuto da dádiva de ter esses tesouros. Porque um dia, cedo ou tarde, eles não estarão mais conosco.
*Imagem: We Heart It
- See more at: http://www.coisademae.com/2011/01/a-dor-da-mae-que-perde-um-filho/#sthash.PqmrHSpX.dpuf
- See more at: http://www.coisademae.com/2011/01/a-dor-da-mae-que-perde-um-filho/#sthash.PqmrHSpX.dpuf
Internada e respirando por aparelhos.
Agora mesmo, escrevendo esse texto, as lágrimas me vêm aos olhos. Impossível, como mãe, não me comover com a dor da minha irmã que a meses esta com minha sobrinha hospitalizada e após várias cirurgias que a criança já fez os médicos a chamam e dizem que o que tinha que ser feito pelos profissionais da terra já foi feito, agora e esperar pela vontade vontade de Deus. Sabe logo eu que sei exatamente como ela se sente neste momento, passei meses com minha filha que nasceu perfeita mais que infelizmente a perdi precocemente. Cuidei dela até o último momento mesmo sabendo que ela tinha leucemia não sobreviveria as quimioterapia. Acompanhei cada sofrimento de minha filha até que foi feita a vontade de Deus que a levou para o lado dele. Neste momento me vem tudo a cabeça quando vejo minha irmã enfrentando a dificuldade que já enfrentei sei que são situações diferentes, minha sobrinha tem 7 anos e aos 6 meses de vida começou a desenvolver uma paralisia cerebral, de lá pra cá muitas internações cirurgias e luta pela vida. 

EVILEN LIANDRA E UMA GURERREIRA PELA VIDA.  Não me parece natural. Por mais que pensemos que a morte faz parte de nosso caminho, de nossa história, a verdade é que poucas – ou até nenhuma – mãe está preparada para ver seu filho partir antes dela.
Eu, que acredito na doutrina espírita e me apego a valores que até me consolam sobre a morte, ainda sim me comovo pelas outras mães. Sei que o sofrimento é de toda a família. Até eu, que não conheci o moço, sinto pela morte dele quando penso. Mas, para a mãe, ahhh, minha gente. Essa deve ser uma dor sem tamanho. Não sei se essa é a ordem natural da vida. Se bem que, pensando melhor, a vida tem uma ordem?
E assim começa o meu dia, pensando no quão perene e sensível é a nossa passagem nesse mundo. Como diz minha amiga, a vida é um sopro. Em um instante, um coração saudável para de bater. É por isso que, depois de seu irmão ter partido, eu tenho ficado muito reflexiva no que eu quero pra mim e para os meus filhos. Porque cada momento é vida. Cada instante junto é algo a ser compartilhado.
Depois disso, reafirmei em mim a beleza dos pequenos momentos. Um passeio, mãos dadas, um carinho gratuito, um olho no olho. Não raras as vezes que deixo o computador de lado e me jogo no chão onde meus meninos estão brincando. Porque, cada dia que se passa é um dia a menos da gente juntos. Então, que saibamos aproveitar enquanto podemos olhá-los nos olhos, enquanto eles ainda cabem no nosso colo, enquanto aquelas barriguinhas sobem e descem com sua respiração. Que possamos nos permitir mais viver cada minuto da dádiva de ter esses tesouros. Porque um dia, cedo ou tarde, eles não estarão mais conosco.
*Imagem: We Heart It
- See more at: http://www.coisademae.com/2011/01/a-dor-da-mae-que-perde-um-filho/#sthash.PqmrHSpX.dpuf
Agora mesmo, escrevendo esse texto, as lágrimas me vêm aos olhos. Impossível, como mãe, não me comover com a dor dessa mulher. Não me parece justo. Não me parece natural. Por mais que pensemos que a morte faz parte de nosso caminho, de nossa história, a verdade é que poucas – ou até nenhuma – mãe está preparada para ver seu filho partir antes dela.
Eu, que acredito na doutrina espírita e me apego a valores que até me consolam sobre a morte, ainda sim me comovo pelas outras mães. Sei que o sofrimento é de toda a família. Até eu, que não conheci o moço, sinto pela morte dele quando penso. Mas, para a mãe, ahhh, minha gente. Essa deve ser uma dor sem tamanho. Não sei se essa é a ordem natural da vida. Se bem que, pensando melhor, a vida tem uma ordem?
E assim começa o meu dia, pensando no quão perene e sensível é a nossa passagem nesse mundo. Como diz minha amiga, a vida é um sopro. Em um instante, um coração saudável para de bater. É por isso que, depois de seu irmão ter partido, eu tenho ficado muito reflexiva no que eu quero pra mim e para os meus filhos. Porque cada momento é vida. Cada instante junto é algo a ser compartilhado.
Depois disso, reafirmei em mim a beleza dos pequenos momentos. Um passeio, mãos dadas, um carinho gratuito, um olho no olho. Não raras as vezes que deixo o computador de lado e me jogo no chão onde meus meninos estão brincando. Porque, cada dia que se passa é um dia a menos da gente juntos. Então, que saibamos aproveitar enquanto podemos olhá-los nos olhos, enquanto eles ainda cabem no nosso colo, enquanto aquelas barriguinhas sobem e descem com sua respiração. Que possamos nos permitir mais viver cada minuto da dádiva de ter esses tesouros. Porque um dia, cedo ou tarde, eles não estarão mais conosco.
- See more at: http://www.coisademae.com/2011/01/a-dor-da-mae-que-perde-um-filho/#sthash.RiOrQFCy.dpuf

Agora mesmo, escrevendo esse texto, as lágrimas me vêm aos olhos. Impossível, como mãe, não me comover com a dor dessa mulher. Não me parece justo. Não me parece natural. Por mais que pensemos que a morte faz parte de nosso caminho, de nossa história, a verdade é que poucas – ou até nenhuma – mãe está preparada para ver seu filho partir antes dela.
Eu, que acredito na doutrina espírita e me apego a valores que até me consolam sobre a morte, ainda sim me comovo pelas outras mães. Sei que o sofrimento é de toda a família. Até eu, que não conheci o moço, sinto pela morte dele quando penso. Mas, para a mãe, ahhh, minha gente. Essa deve ser uma dor sem tamanho. Não sei se essa é a ordem natural da vida. Se bem que, pensando melhor, a vida tem uma ordem?
E assim começa o meu dia, pensando no quão perene e sensível é a nossa passagem nesse mundo. Como diz minha amiga, a vida é um sopro. Em um instante, um coração saudável para de bater. É por isso que, depois de seu irmão ter partido, eu tenho ficado muito reflexiva no que eu quero pra mim e para os meus filhos. Porque cada momento é vida. Cada instante junto é algo a ser compartilhado.
Depois disso, reafirmei em mim a beleza dos pequenos momentos. Um passeio, mãos dadas, um carinho gratuito, um olho no olho. Não raras as vezes que deixo o computador de lado e me jogo no chão onde meus meninos estão brincando. Porque, cada dia que se passa é um dia a menos da gente juntos. Então, que saibamos aproveitar enquanto podemos olhá-los nos olhos, enquanto eles ainda cabem no nosso colo, enquanto aquelas barriguinhas sobem e descem com sua respiração. Que possamos nos permitir mais viver cada minuto da dádiva de ter esses tesouros. Porque um dia, cedo ou tarde, eles não estarão mais conosco.
*Imagem: We Heart It
- See more at: http://www.coisademae.com/2011/01/a-dor-da-mae-que-perde-um-filho/#sthash.PqmrHSpX.dpuf
Agora mesmo, escrevendo esse texto, as lágrimas me vêm aos olhos. Impossível, como mãe, não me comover com a dor dessa mulher. Não me parece justo. Não me parece natural. Por mais que pensemos que a morte faz parte de nosso caminho, de nossa história, a verdade é que poucas – ou até nenhuma – mãe está preparada para ver seu filho partir antes dela.
Eu, que acredito na doutrina espírita e me apego a valores que até me consolam sobre a morte, ainda sim me comovo pelas outras mães. Sei que o sofrimento é de toda a família. Até eu, que não conheci o moço, sinto pela morte dele quando penso. Mas, para a mãe, ahhh, minha gente. Essa deve ser uma dor sem tamanho. Não sei se essa é a ordem natural da vida. Se bem que, pensando melhor, a vida tem uma ordem?
E assim começa o meu dia, pensando no quão perene e sensível é a nossa passagem nesse mundo. Como diz minha amiga, a vida é um sopro. Em um instante, um coração saudável para de bater. É por isso que, depois de seu irmão ter partido, eu tenho ficado muito reflexiva no que eu quero pra mim e para os meus filhos. Porque cada momento é vida. Cada instante junto é algo a ser compartilhado.
Depois disso, reafirmei em mim a beleza dos pequenos momentos. Um passeio, mãos dadas, um carinho gratuito, um olho no olho. Não raras as vezes que deixo o computador de lado e me jogo no chão onde meus meninos estão brincando. Porque, cada dia que se passa é um dia a menos da gente juntos. Então, que saibamos aproveitar enquanto podemos olhá-los nos olhos, enquanto eles ainda cabem no nosso colo, enquanto aquelas barriguinhas sobem e descem com sua respiração. Que possamos nos permitir mais viver cada minuto da dádiva de ter esses tesouros. Porque um dia, cedo ou tarde, eles não estarão mais conosco.
- See more at: http://www.coisademae.com/2011/01/a-dor-da-mae-que-perde-um-filho/#sthash.PqmrHSpX.dpuf
Eu, que acredito na doutrina espírita e me apego a valores que até me consolam sobre a morte, ainda sim me comovo pelas outras mães que já perderam seus filhos, por minha irmã que luta para não perder a sua pequena. Sei que o sofrimento é de toda a família. Mas, para a mãe, ahhh, minha gente. Essa e  uma dor sem tamanho. Não sei se essa é a ordem natural da vida. Se bem que, pensando melhor, a vida tem sempre uma ordem a ser seguida.

E assim começa o meu dia, pensando no quão perene e sensível é a nossa passagem nesse mundo. Como dizia minha tia Madalena , a vida é um sopro. Em um instante, um coração saudável para de bater. É por isso que, depois de minha filha ter  ter partido, eu tenho ficado muito reflexiva no que eu quero pra mim e para as minhas outras filhas. Por que cada momento é vida. Cada instante junto é algo a ser compartilhado a ser valorizado. Nestes momentos difíceis e que compreendemos o quão valorosa e a vida que temos que ser humilde e ajudar uns aos outros.Temos que ser mais humano, pois nesta vida tudo que temos de maior valor e nossa família. Ao ver minha sobrinha cheia de aparelhos entendo que talvez ela realmente esteja cansada, cansada de sentir  tanta dor, de tanto sofrimentos e que queira descansar, nesta hora entendo que o nosso amor por ela não pode ser tão egoísta ao ponto de deixa-la sofrer. Então oremos para que seja feita a vontade de Deus pois só ele sabe todas as coisas, só Deus e capaz de acalentar nossos corações e  renovar nossa fé e esperança.  

Depois de passar por tanto sofrimento de ver pessoas que tanto amo partir , reafirmei em mim a beleza dos pequenos momentos. Um passeio, mãos dadas, um carinho gratuito, um olho no olho. São raras ás vezes que deixamos o trabalho,  o computador , a rotina do dia a dia de lado e valorizamos

o caminhar de nossas vidas.  Porque, cada dia que se passa é um dia a menos da gente e um dia a menos ao lado de quem a gente ama. Então, que saibamos aproveitar enquanto podemos olhar nos olhos, enquanto as pessoas que amamos ainda estão ao nosso lado, enquanto ainda podemos abraçar, beijar sentir o cheiro. Não deixemos para valorizar as pessoas após sua partida pois neste momento e tarde demais para querer expressar algum tipo de sentimento.  Que possamos nos permitir mais viver cada minuto da dádiva de ter  tesouros valiosos como nossa família, nossos amigos. Porque um dia, cedo ou tarde, eles não estarão mais conosco e toda despedida seja ela eterna ou não e dolorosa.

Se escrevo isso e para poder compartilhar um pouco do que nossa família esta passando e que a força de vontade de viver de minha sobrinha seja um exemplo de que mesmo diante toda dor a luta pela vida deve ser sempre uma esperança, uma fé. Que possamos dar valor a cada respirar a cada minuto de nossa vida pois a vida e o tesouro mais precioso e a maior prova de amor que Deus nos deu.  

Gladys Mírian.



06 jan 2011

A dor da mãe que perde um filho

Post por Glauciana às 15:26 em Devaneios de Mãe

Ontem almocei com uma grande amiga. Na primeira oportunidade em que nos encontramos no novo ano, já fui logo dando um abraço forte, porque ela é dessas pessoas em quem a gente pode confiar. Ela, que vem de uma família muito unida e feliz, começa 2011 com um desafio ousado e bonito: aprender a viver de forma alegre sem um ente muito próximo.
Seu irmão, de apenas 30 anos, se foi no fim do ano que ficou pra trás. Ela, que acabara de voltar à São Paulo da casa da família, me contou uma cena que até agora me faz ficar com um nó na garganta quando me lembro. Na noite de Natal, não houve festa como em todos os outros anos. Não teve casa enfeitada. Não havia o que comemorar. Apenas seu núcleo familiar fez uma refeição na noite de 24 de dezembro. A mesa, que sua mãe montou, tinha cinco lugares: do pai, da mãe, do irmão caçula, da minha amiga e do irmão que se foi.
Cinco lugares e quatro pessoas. E foi assim a noite de Natal. A mãe, questionada por colocar o prato do filho que não está mais vivo, respondeu enfática: ele sempre terá o lugar dele na nossa família. E assim foi.
Agora mesmo, escrevendo esse texto, as lágrimas me vêm aos olhos. Impossível, como mãe, não me comover com a dor dessa mulher. Não me parece justo. Não me parece natural. Por mais que pensemos que a morte faz parte de nosso caminho, de nossa história, a verdade é que poucas – ou até nenhuma – mãe está preparada para ver seu filho partir antes dela.
Eu, que acredito na doutrina espírita e me apego a valores que até me consolam sobre a morte, ainda sim me comovo pelas outras mães. Sei que o sofrimento é de toda a família. Até eu, que não conheci o moço, sinto pela morte dele quando penso. Mas, para a mãe, ahhh, minha gente. Essa deve ser uma dor sem tamanho. Não sei se essa é a ordem natural da vida. Se bem que, pensando melhor, a vida tem uma ordem?
E assim começa o meu dia, pensando no quão perene e sensível é a nossa passagem nesse mundo. Como diz minha amiga, a vida é um sopro. Em um instante, um coração saudável para de bater. É por isso que, depois de seu irmão ter partido, eu tenho ficado muito reflexiva no que eu quero pra mim e para os meus filhos. Porque cada momento é vida. Cada instante junto é algo a ser compartilhado.
Depois disso, reafirmei em mim a beleza dos pequenos momentos. Um passeio, mãos dadas, um carinho gratuito, um olho no olho. Não raras as vezes que deixo o computador de lado e me jogo no chão onde meus meninos estão brincando. Porque, cada dia que se passa é um dia a menos da gente juntos. Então, que saibamos aproveitar enquanto podemos olhá-los nos olhos, enquanto eles ainda cabem no nosso colo, enquanto aquelas barriguinhas sobem e descem com sua respiração. Que possamos nos permitir mais viver cada minuto da dádiva de ter esses tesouros. Porque um dia, cedo ou tarde, eles não estarão mais conosco.
- See more at: http://www.coisademae.com/2011/01/a-dor-da-mae-que-perde-um-filho/#sthash.PqmrHSpX.dpuSe escrevo agora sobre isto é porque espero que outras mulheres poderão beneficiar-se de minha experiência”, afirmou. “Decidi não manter minha história em segredo porque há muitas mulheres que não sabem que poderiam estar vivendo sob a sombra do câncer. Tenho a esperança que elas, também, sejam capazes de realizar exames genéticos e que, se tiverem um alto risco, saibam que há mais opções.”“A vida está cheia de desafios. Os que não devem nos dar medo são os que podemos enfrentar e podemos controlar”

Ministro da Saúde fica sensível à proposta do Acre de receber brasileiros formados na Bolívia.


O governo federal poderá aceitar a contratação de médicos brasileiros formados na Bolívia para trabalharem no Acre, por meio do Programa Mais Médicos, caso sejam atendidos os dois requisitos apresentados nesta segunda-feira (30) pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, ao governador do Estado, Tião Viana, ao senador Aníbal Diniz (PT-AC), e a parlamentares do Estado.
Em reunião no ministério, Alexandre Padilha recebeu do governador e da secretária estadual de Saúde, Suely Melo, o cadastro realizado pela Secretaria de Saúde do Acre para identificar os médicos brasileiros formados em outros países que desejam fazer parte do programa Mais Médicos e trabalhar no Acre.

"Levamos ao ministro documento propondo que sejam aceitos os brasileiros formados na Bolívia. Hoje, temos no Acre 900 médicos já inscritos para ocupar as 358 vagas que estão disponíveis para melhorarmos o atendimento à saúde", afirmou o senador.
De acordo com Aníbal Diniz, o ministro da Saúde concordou com a inclusão desses profissionais no programa Mais Médicos desde que sejam observadas duas condições: o médico interessado tem de ser formado em uma faculdade reconhecida pelo Mercosul (Mercado Comum do Sul) e deve também ter o registro profissional concedido pelo país onde se formou. Nesse caso, após a aprovação da Medida Provisória que trata do programa Mais Médicos, o ministro Padilha editará uma portaria para regulamentar a inclusão desses profissionais.

O Programa Mais Médicos é uma iniciativa federal que busca levar profissionais para as localidades mais isoladas do país e para as periferias das grandes cidades.
Na avaliação do senador Aníbal, a reunião desta segunda-feira foi positiva. "Estamos muito otimistas e acreditamos em um bom resultado. Há um grande número de brasileiros formados na Bolívia e que estão dispostos a ir para o Acre. Entendemos que o Brasil está evitando importar médicos de países que tenham um índice de médicos por mil habitantes igual ou inferior à média brasileira, que é de 1.8 médico para cada mil habitantes. Mas, nesse caso específico, estamos falando de médicos brasileiros que se formaram na Bolívia e já estão no Brasil", destacou o senador.
Curso de Medicina em Cruzeiro do Sul – Na mesma reunião, o senador Aníbal informou o ministro sobre o esforço que está sendo feito pelo governo acreano para a implantação de uma Faculdade de Medicina no município de Cruzeiro do Sul. "Estamos assinando um convênio com a Escola de Medicina do ABC Paulista e a Universidade do Acre para termos um curso de mestrado e doutorado, em Cruzeiro do Sul, e formar o corpo docente da futura Faculdade de Medicina. O ministro se mostrou disposto a nos ajudar", acrescentou.

  Escrito por Gabriela Mascarenhas 

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Felicidades para você, por este dia tão especial que é o seu aniversário


Parabéns, que possa ter muitos anos de vida, abençoados e felizes, e que estes dias futuros sejam todos de harmonia, paz e desejos realizados.

Que seu caminhar seja sempre premiado com a presença de Deus, guiando seus passos e intuindo suas decisões, para que suas conquistas e vitórias, sejam constantes em seus dias.

Amiga, esta data anima a sua vida, traz alegria, novos sonhos e muita emoção. É o seu aniversário e eu estou aqui nessa mensagem, para lhe desejar felicidades. Que a sua alegria neste dia se espalhe, levando um pouco de você para dentro de cada coração, que aprendeu a lhe amar muito.

Feliz aniversário e muitos anos de vida, que a sorte cruze seus caminhos e que todas as chances e oportunidades de fazer de você uma pessoa vitoriosa, possam lhe acompanhar sempre.

É o seu dia e por isso nada de tristeza e sim muita e muita alegria, seja feliz, muito feliz!



Você está entre pessoas que lhe admiram e que seguem o seu exemplo. Sorria amiga, o dia nasceu para somar mais um aniversário seu, a vida já abriu os braços para lhe receber, então seja feliz neste dia, que Deus criou para lhe homenagear.

Parabéns e muito anos de vida, porque você merece.

Feliz Aniversário ! Com Carinho!

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

UFAC terá pista olímpica de atletismo, informa senador Aníbal




O senador Aníbal Diniz (PT-AC) e o reitor da UFAC (Universidade Federal do Acre), Minoru Martins Kinpara, receberam nesta terça-feira (13), em reunião no Ministério do Esporte, em Brasília, a garantia da construção de uma pista olímpica de atletismo na UFAC.

Na audiência com o secretário nacional de Esporte de Alto Rendimento do Ministério do Esporte, Ricardo Leyser Gonçalves, o senador Aníbal solicitou que o Acre fosse contemplado no plano de expansão de pistas em universidades federais realizado pelo governo.
"Tivemos uma reunião muito positiva. Apresentamos o projeto e recebemos uma confirmação imediata, uma garantia de que a pista olímpica será construída na UFAC. O secretário não deixou dúvidas que os recursos serão do ministério. Essa iniciativa trará grandes benefícios para a formação de atletas do Acre", afirmou o senador.

Fonte: Assessoria

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Seja bem vinda princesa Ana Julia.


Nasceu uma luz; Uma luz de novos planos e de novos momentos. Essa luz está cheia de encantos, cheio de magias, cheio de vida. Esta luz é o fruto de dois corações, é o mais novo ser do mundo. Um ser lindo, tão pequeno... Anjinho... Que veio para ensinar o que é amor. Anjinho, que veio para amar e ser amado. Anjinho cheio de glória, cheio de bênção. A partir de agora esse anjinho vai aprender como saber viver no amor, aprender os passos para chegar até a felicidade. 

Seja bem vinda Ana Julia......Os bebês nascem com olhos dispostos a ver todo o precioso, abraçar todo o alegre e querer sem condições com todo seu coração. O milagre de um nascimento é um tesouro único para uma mulher. Felicidades filha que Deus possa te agraciar a cada dia ..... A julinha pesou 2 quilos e 400 gramas pequenina mais já e muito amada e trará mtas alegrias....... Parabéns a mamãe Sherlen e o Papai Juliano*