terça-feira, 1 de outubro de 2013

Ministro da Saúde fica sensível à proposta do Acre de receber brasileiros formados na Bolívia.


O governo federal poderá aceitar a contratação de médicos brasileiros formados na Bolívia para trabalharem no Acre, por meio do Programa Mais Médicos, caso sejam atendidos os dois requisitos apresentados nesta segunda-feira (30) pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, ao governador do Estado, Tião Viana, ao senador Aníbal Diniz (PT-AC), e a parlamentares do Estado.
Em reunião no ministério, Alexandre Padilha recebeu do governador e da secretária estadual de Saúde, Suely Melo, o cadastro realizado pela Secretaria de Saúde do Acre para identificar os médicos brasileiros formados em outros países que desejam fazer parte do programa Mais Médicos e trabalhar no Acre.

"Levamos ao ministro documento propondo que sejam aceitos os brasileiros formados na Bolívia. Hoje, temos no Acre 900 médicos já inscritos para ocupar as 358 vagas que estão disponíveis para melhorarmos o atendimento à saúde", afirmou o senador.
De acordo com Aníbal Diniz, o ministro da Saúde concordou com a inclusão desses profissionais no programa Mais Médicos desde que sejam observadas duas condições: o médico interessado tem de ser formado em uma faculdade reconhecida pelo Mercosul (Mercado Comum do Sul) e deve também ter o registro profissional concedido pelo país onde se formou. Nesse caso, após a aprovação da Medida Provisória que trata do programa Mais Médicos, o ministro Padilha editará uma portaria para regulamentar a inclusão desses profissionais.

O Programa Mais Médicos é uma iniciativa federal que busca levar profissionais para as localidades mais isoladas do país e para as periferias das grandes cidades.
Na avaliação do senador Aníbal, a reunião desta segunda-feira foi positiva. "Estamos muito otimistas e acreditamos em um bom resultado. Há um grande número de brasileiros formados na Bolívia e que estão dispostos a ir para o Acre. Entendemos que o Brasil está evitando importar médicos de países que tenham um índice de médicos por mil habitantes igual ou inferior à média brasileira, que é de 1.8 médico para cada mil habitantes. Mas, nesse caso específico, estamos falando de médicos brasileiros que se formaram na Bolívia e já estão no Brasil", destacou o senador.
Curso de Medicina em Cruzeiro do Sul – Na mesma reunião, o senador Aníbal informou o ministro sobre o esforço que está sendo feito pelo governo acreano para a implantação de uma Faculdade de Medicina no município de Cruzeiro do Sul. "Estamos assinando um convênio com a Escola de Medicina do ABC Paulista e a Universidade do Acre para termos um curso de mestrado e doutorado, em Cruzeiro do Sul, e formar o corpo docente da futura Faculdade de Medicina. O ministro se mostrou disposto a nos ajudar", acrescentou.

  Escrito por Gabriela Mascarenhas 

Nenhum comentário:

Postar um comentário