quinta-feira, 25 de julho de 2013

Como dobrar suas chances de engravidar


Segundo um novo estudo, a maioria das mulheres não está consciente de uma técnica simples que pode ajudá-las a engravidar mais rápido
Segundo um novo estudo, a maioria das mulheres não está consciente de uma técnica simples que pode ajudá-las a engravidar.

A técnica, conhecida como monitoramento de muco cervical, aumenta em mais de duas vezes as chances de conceber quando as mulheres a usam.

“Esta técnica pode ser usada para ajudar as pessoas a engravidar mais rápido”, disse Anne Steiner, ginecologista da Universidade da Carolina do Norte (EUA) e principal autora do estudo.

Mudanças na viscosidade do muco cervical ocorrem durante todo o ciclo menstrual de uma mulher. Quando o óvulo se desenvolve no ovário, estrogênio é liberado, tornando o muco mais fino e escorregadio. Isso permite que o esperma nade até o óvulo mais facilmente. Depois que ele é liberado, um aumento de progesterona torna o muco mais espesso, o que age como uma barreira para o esperma.

Sendo assim, acompanhar o estado deste muco cervical dá uma visão excelente sobre a fertilidade de uma mulher.

O estudo acompanhou 331 mulheres com idades entre 30 a 45 anos sem problemas de fertilidade conhecidos que estavam tentando engravidar há três meses ou menos. Elas foram convidadas a classificar seu muco cervical em um de quatro tipos: tipo 1, seco ou inexistente; tipo 2, úmido; tipo 3, espesso e branco ou amarelado, e tipo 4, transparente e escorregadio.

Estudos anteriores descobriram que as mulheres que têm relações sexuais nos dias em que apresentam muco tipo 4 têm pelo menos duas a três vezes mais chances de engravidar do que quando têm relações sexuais nos dias em que apresentam muco tipo 1 ou 2.

Na nova pesquisa, as mulheres que verificaram seu muco cervical consistentemente tinham 2,3 vezes mais chances de engravidar durante um período de seis meses.

No entanto, os pesquisadores também descobriram que muito poucas mulheres realmente monitoraram seu muco diariamente – apenas 6% delas fez isso de forma consistente, ao passo que 54% das mulheres não se preocuparam em verificar seu muco cervical nenhuma vez.
Essas mulheres podem estar ignorando um método simples e eficaz de controlar sua fertilidade.

Por exemplo, simplesmente contar os dias entre as menstruações no calendário pode ser uma técnica muito inexata, inclusive para mulheres com ciclos muito regulares. Kits de previsão de ovulação, que rastreiam os níveis de hormônios através da urina, podem ser caros. O monitoramento da temperatura corporal para indicar ovulação também tem utilidade limitada, porque o pico de temperatura ocorre depois que uma mulher ovulou, dando informações retrospectivas que só a ajudarão no próximo ciclo.

Por todos esses motivos, o uso do monitoramento de muco cervical pode ser uma promessa como uma forma de aumentar as chances de gravidez de uma mulher com eficácia e de forma barata.

No entanto, a técnica pode não funcionar para todas as mulheres. “Muitas não podem ver o seu muco cervical externamente”, disse Elizabeth Ginsburg, obstetra no Hospital Brigham and Women, em Boston (EUA). “Minha preocupação é, você diz a uma paciente para observar esse tipo de secreção, mas ela não o vê, e pode se preocupar que tenha problemas de fertilidade, quando ela provavelmente está ovulando normal”.

Os pesquisadores sugerem que as mulheres que estão tentando engravidar e que são capazes de observar seu muco cervical mantenham um registro diário desse corrimento vaginal, observando em qual categoria ele se enquadra (1 a 4). Nos dias em que elas observarem o de tipo 4, vão saber que é provavelmente o melhor momento para engravidar. [LiveScience]

Nenhum comentário:

Postar um comentário