terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Em Doha, senador Aníbal defende contrapartida de países desenvolvidos

Vice-presidente do Senado, o senador Aníbal Diniz (PT-AC) participou nesta terça-feira da sessão principal de abertura da 18ª Conferência das Partes da Convenção sobre Mudanças Climáticas da ONU (COP-18), realizada em Doha, no Catar. A sessão contou com a participação de chefes de Estado e ministros de mais de 190 países. No plenário número 1 da COP 18 aconteceu a saudação do secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon.

Mais cedo, em reunião com membros do Parlamento Europeu, o senador Aníbal informou que o Estado do Acre é pioneiro na adoção de políticas de desenvolvimento sustentável e desenvolve um projeto pioneiro de Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação (REDD). Ele reiterou que é fundamental que os países mais desenvolvidos implementem os acordos de redução de emissões de CO2 e ofereçam contrapartidas viáveis aos Estados que já trabalham com preservação ambiental.
Segundo estudos recentes, se for mantido o ritmo de crescimento de emissões de CO2, a mais de 3% anuais entre 2000 e 2011, o aumento da temperatura pode superar 5 graus Celsius em 2100.
No plenário número 1 da COP 18, onde aconteceu a saudação do secretário geral das Nações Unidas e alguns chefes de Estado, com o embaixador do Brasil no Qtar, Tadeu ValadaresNo plenário número 1 da COP 18, onde aconteceu a saudação do secretário geral das Nações Unidas e alguns chefes de Estado, com o embaixador do Brasil no Qtar, Tadeu Valadares
A COP-18 entrou nesta terça-feira em sua segunda e última semana sem definições concretas quanto aos principais pontos em discussão. Os negociadores de quase 200 países presentes ainda não chegaram a um consenso sobre a adoção da segunda fase do Protocolo de Kyoto, sobre o acordo com metas obrigatórias para todos os países proposto pela Plataforma de Durban ou à implementação do Fundo Verde Climático, que prevê o repasse de recursos aos países em desenvolvimento para que estes possam se adaptar às consequências do aquecimento global e adotar políticas sustentáveis de crescimento.
O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou nesta terça-feira que espera um "compromisso firme" dos quase 190 países presentes na conferência do clima para alcançar um acordo até o fim de semana, em particular no que diz respeito a Kyoto 2 e à ajuda financeira aos países do sul.

Assessoria

Nenhum comentário:

Postar um comentário