quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Presos pelo assalto ao BB de Feijó cumpriam pena por outros crimes

Eurico Rocha do Nascimento, 28, um dos seis assaltantes ao Banco do Brasil em Feijó já tinha prisão preventiva decretada em Rio Branco devido ao assalto praticado à agência VT Publicidade em 2004. Fagner Amorim da Silva, que está preso desde segunda-feira (2), na manhã de 28 de outubro participou, em Rio Branco, da audiência em que recebeu progressão de pena para o regime aberto, no cumprimento de sentença por outro crime.
Em setembro, Eurico teve a progressão de regime negada por descumprir os critérios estabelecidos para obter o benefício, além de responder a outros processos. Além da condenação que já possui, ele responde a processos nas 1ª, 3ª e 4ª Varas Criminais de Rio Branco.
De acordo com informações da Polícia Civil, além dos crimes que já responde na Justiça, há cerca de 60 dias, Eurico foi preso em flagrante com duas pistolas automáticas e indiciado por porte ilegal de arma. Além de ser proibido o porte de arma, as pistolas, de acordo com a lei, é de uso restrito da Polícia Federal e do Exército.
Como foi Planejado o assalto ao BB em Feijó
Segundo a Polícia Civil, há cerca de duas semanas, Eurico Rocha do Nascimento pediu o carro Gol, quatro portas, azul, emprestado a um conhecido e em troca fariam o conserto necessário. Com o veículo consertado, ele e mais dois assaltantes foram para Feijó. No dia 22 de outubro, se dizendo funcionários da empresa Construmil (que trabalha na pavimentação da BR 364), os três assaltantes de hospedaram em um hotel da cidade.
Na sexta-feira (30), Eurico e os outros dois comparsas seguiram pela BR 364 no sentido Manoel Urbano. No trajeto, pararam o veículo e, simulando problemas mecânicos, pediram auxílio a um grupo que passava na caminhonete L 200, de cor prata, pertencente à empresa Construmil. Os três funcionários da empresa foram rendidos, feitos reféns e a caminhonete roubada.
Os assaltantes atearam fogo no Gol e retornaram para Feijó, sendo que no caminho pegaram outros três comparsas e liberaram um dos funcionários da Construmil. Com a caminhonete e armados com metralhadoras, fuzis AR 15 e pistolas realizaram o assalto à agência do BB de onde levaram cinco funcionários como reféns.
O grupo empreendeu fuga pela BR 364, foi liberando os reféns aos poucos e trocou tiros com a polícia. Depois os assaltantes se separaram se embrenharam na mata e por duas vezes, Eurico e um comparsa, trocaram tiros com policiais. Na terça-feira, mataram o sargento PM Josimar da Costa Moreira, na balsa de travessia do Rio Purus, onde o policial desapareceu depois de ser alvejado e cair nas águas.
Na segunda troca de tiros, na manhã desta quarta-feira, na mata, Eurico ficou sem munição e foi preso. O comparsa conseguiu fugir. Com ele os policiais apreenderam uma pistola e dois carregadores.
Gladys Mirian

Nenhum comentário:

Postar um comentário